FANDOM


BinaryFusionGenerator

Canhão de Fusão Binária preparando para disparar.

O Gerador de Fusão Binária era um canhão de energia instalado na Segunda Torre de Vigia.

História Editar

Durante a invasão thanagariana a primeira Torre foi destruída quando o Batman foi forçado a lança-la no gerador de desvio de hiperespaço para evitar a destruição da Terra.

A fim de evitar uma ameaça semelhante aparecer no futuro da Terra a segunda Torre foi criada para direcionar toda a produção de energia de seu reator nuclear em uma única explosão de energia, de acordo com J'onn é "uma arma com o poder de um pequeno artefato nuclear".

O gerador foi usado pela primeira vez durante a Crise do Coração Negro para retardar o avanço das sondas do coração ao cavar uma trincheira em volta dele, pois se dispara-se diretamente no coração iria espalhar os pedaços e ampliar a ameaça no deserto.

Embora a instalação do canhão fizesse sentido estratégico após a invasão thanagariana acabou por ser uma das ações mais inflamatórias da Liga da Justiça expandida. Sua existência (e o fato de a Liga tê-lo mantido em segredo até então) apenas reforçou a opinião de muitos como o General Wade Eiling, que a Liga era uma potencial ameaça para o mundo. Eiling e Amanda Waller, ambos do Projeto Cadmus, apontaram a existência do gerador como em defesa de uma de suas tentativas de contrariar a Liga.

Sabendo disso, Lex Luthor usou o gerador como um "ponto de inflamação" para desacreditar a Liga, tomando o controle remoto do mesmo e usando-o para disparar na sede do Cadmus, causando devastação maciça na área circundante. Embora não houvessem mortes, os ânimos ficaram em alta.

Após Luthor ser exposto e preso, Superman anunciou que o gerador havia sido definitivamente desmantelado. Alguns, incluindo Eiling, mantiveram-se céticos.

Operação Editar

Feixe do Gerador de Fusão Binária

O Gerador podia disparar um feixe de energia para a Terra com precisão, embora não o suficiente para abater um míssil em voo. A principal desvantagem em usá-lo é que ele drena toda a energia disponível da Torre de Vigia por uma hora, desativando seus dispositivos sensores e todas as funções disponíveis, com exceção do suporte de vida mínimo e comunicação (o que significa que seria necessário a Liga esperar uma hora para ser capaz de avaliar a eficácia da explosão).